Responsabilidade ambiental: pratique e aumente as chances de ver sua empresa crescer 401

Projetos ambientais geram beneficios para empresas

Aprendemos na escola que prosopopeia é uma figura de linguagem que visa atribuir características, ações e sentimentos próprios de seres humanos a seres irracionais e inanimados (sem vida). Muito utilizado na linguagem oral e escrita, esse recurso tem a finalidade de aumentar a expressividade de mensagens, tornando mais poética ou dramática a comunicação.

Em tempos em que a escassez de recursos naturais e as mudanças climáticas vêm impactando progressiva e perigosamente a qualidade de vida da população mundial, dizer que “árvores pedem socorro” e que “o planeta Terra clama por ajuda” soa como um exemplo perfeito dessa personificação.

Mas, definitivamente, não se trata de “prosopopeia flácida para acalentar bovinos” a urgência de superarmos o momento de crise atual, revertendo para tanto as perdas ambientais que atingem nível crônico há tempos. Esse tom imediatista passa muito longe de ser “conversa mole pra boi dormir”, como costumam dizer no linguajar popular. Muito pelo contrário!

Ações assertivas e transparentes de proteção ao meio ambiente e de práticas sustentáveis são duas demandas vitais para a sociedade como um todo e, também, para as empresas. E precisam ser levadas mais do que nunca a sério. Afinal, não há como pensar em futuro sem considerar posicionamentos colaborativos e efetivos que visem reverter um cenário que já se encontra bastante crítico.

Mas, como as empresas podem, então, ajudar neste sentido? De que forma pequenas, médias e grandes companhias devem atuar com o intuito de se tornarem parte legítima de uma verdadeira transformação ambiental?

Os caminhos e ações possíveis para essa questão parecem uma realidade distante, mas não são. 

Afinal, como ajudar sua empresa a se beneficiar de impactos ambientais positivos?

Levando-se em conta que estamos em pleno século XXI, o primeiro passo é as marcas repensarem suas cadeias produtivas, de modo a adotarem um modelo sustentável que se encaixe em sua linha de atuação, a médio e longo prazo. Até mesmo porque grande parcela das atividades que prejudicam o equilíbrio do ecossistema resultam dos processos de produção das empresas. 

O passo seguinte é entenderem que lucro, propósito e impacto ambiental podem caminhar lado a lado porque, no fim das contas, agir com responsabilidade ao lidar com o meio ambiente proporciona grandes vantagens. 

Isso porque estamos diante de um processo irreversível de mudança de consciência da sociedade, que tem esperado e cobrado das organizações e respectivos líderes comportamentos alinhados à causas ambientalmente sustentáveis.

Se você exerce posição de liderança em uma empresa e ainda não compreendeu que apostar nessa já consolidada tendência não é custo, e sim investimento, confira alguns panoramas que irão te ajudar a repensar sua postura e te motivar a colocar projetos ambientais em prática:

  • Além de preservar a natureza, organizações que apostam em estratégias ambientais conseguem se posicionar melhor perante os clientes, pois 64% dos consumidores do mundo vão atentar somente para empresas que de fato se importam com a sociedade e o meio ambiente;
  • 87% dos brasileiros preferem comprar produtos e serviços de empresas sustentáveis, e 70% não se importam em pagar um pouco a mais por isso;  
  • 79% dos consumidores priorizam no ato da compra empresas inclusivas, social e ambientalmente responsáveis; 
  • 35% requerem maior transparência nos indicadores de sustentabilidade das empresas, e 31% ponderam se uma organização investe em biodiversidade (se planta ou protege florestas, por exemplo).

Agora que você entendeu a importância de agir em prol do meio ambiente para manter sua marca bem posicionada aos olhos de consumidores, parceiros, colaboradores e investidores, vamos retomar dois pontos cruciais na esfera da sustentabilidade, que citamos no início do artigo: a necessidade de construir e concretizar estratégias sólidas, e a importância da transparência de dados que são gerados por meio das ações realizadas. 

Porque para vender e para reter, as empresas não podem apenas aderir à tendência por “transformação verde”. Elas também precisam comprovar, com métricas credíveis, os indicadores obtidos por meio da realização de projetos ambientais, para então comunicar com franqueza o mercado. Ou seja, definitivamente, não existe mais espaço para o greenwashing.

Solidez na relação entre práticas ambientais, empresas e stakeholders

A falta de uma abordagem estratégica e efetiva quando da elaboração e execução de projetos ambientais, na busca por engajar e atender às crescentes exigências por sustentabilidade dos stakeholders — leia-se quaisquer indivíduos que sejam impactados (positiva ou negativamente) pelas decisões e ações de uma empresa —, pode abalar os resultados de performance das organizações a médio e longo prazo. 

Não contar com uma estrutura clara e padronizada para obter dados e captar métricas relevantes, são outros erros imensuráveis. Empresas que fornecem informações inconsistentes, incompletas e enganosas sobre suas práticas sustentáveis acabam por ingressar em um ambiente de maior risco e, invariavelmente, têm sua reputação e confiança prejudicadas.

Por isso é fundamental contar com o auxílio de soluções inovadoras, robustas e automatizadas como a Forest Watch, para consolidar programas ambientais com credibilidade e superar esses desafios. Mais que viabilizar projetos totalmente personalizados, a Forest Watch coleta dados com segurança durante todas as etapas e gera, de quebra, métricas (entre elas ESG) e insights significativos para melhor gerenciamento e entrega dos projetos.

Simplesmente comece! Até mesmo pequenas iniciativas podem fazer toda a diferença, e estamos aqui para te ajudar a se adequar a esse processo transformador e valioso, e aumentar suas chances de crescimento.

Deixe uma resposta

Send this to a friend