Como escolher o pinheiro ideal e ter a árvore de Natal perfeita por muitos anos 2684

Pinheiro_de_Natal_de_Tuia_Holandesa

Em vários países do mundo, a montagem da árvore de Natal é um costume anual muito aguardado pelas famílias. Isso porque juntamente com as decorações natalinas – que vão de luzes pisca-pisca a guirlandas e outros enfeites –, as árvores são as grandes responsáveis por garantir um clima ainda mais especial nesta importante época do ano.

Mas, em razão de tempos turbulentos e adversidades distintas, muitas pessoas estão retardando a montagem da árvore e, até mesmo, estão desanimadas para montá-la. E aí fica a grande dúvida, já que a magia do Natal também é composta por muitos costumes: é verdade, afinal, que a data ideal para adornar a árvore é dia 30 de novembro?

Se você é o tipo de pessoa que gosta de seguir à risca as tradições, pode se tranquilizar e começar a resgatar as caixas com os enfeites de Natal que costumam passar o ano todo em um cantinho no sótão, porão ou dispensa!

Isso porque dia 30 de novembro é o começo do Advento (período litúrgico que celebra a vinda do Menino Jesus) que, segundo a tradição católica, se refere às quatro semanas que antecedem o Natal. Ou seja, desta data em diante costumeiramente iniciam-se os preparativos das festividades natalinas, não havendo, pois, um dia “ideal” para a montagem da árvore e demais enfeites – ao contrário da desmontagem que tradicionalmente deve ocorrer no dia 6 de janeiro, também conhecido como Dia de Reis.

Fato é que independentemente da doutrina e/ou princípio religioso seguido, dar espaço para o clima de prosperidade e alegria que chegam juntamente com as festas de final de ano pode ser uma boa forma de recarregar as energias e atrair coisas boas para o próximo ciclo que está por chegar.

E se for possível montar uma árvore de Natal natural para consolidar o momento, melhor ainda. A possibilidade de se conectar com um elemento da natureza irá certamente potencializar as vibrações positivas que serão canalizadas por você, seu lar e sua família!

Ainda não comprou seu pinheiro, não montou sua árvore ou não sabe como cuidar dela ao longo do ano para que continue verdinha e linda para o Natal seguinte e muitos outros? Preparamos 10 dicas valiosas para te ajudar nessa prazerosa missão!

1. Espécies

Apesar de serem denominadas pinheiro e terem muitas semelhanças com essa espécie, as árvores adotadas no Brasil para celebrar o Natal são as ciprestes, criptomérias e tuias, pois se adaptam melhor ao nosso clima. Em comum, todas têm o formato de cone, grande porte e longevidade quando plantadas em solo. Mas, com mais variações, as tuias são as mais vendidas, sendo a espécie holandesa a preferida, em razão da coloração verde-claro e do cheiro bem característico de limão que exala toda vez que é tocada, e que dão um toque especial às comemorações de Natal.

2. Aspectos da muda

Para que a árvore permaneça saudável e bonita durante as comemorações (e depois também), é preciso escolher a muda certa no momento da compra. A presença de galhos secos na base é um mau sinal. Desconfie também de folhas murchas, ramos e pontas queimadas, bem como de mudas plantadas em terra muito compacta e com musgos. Além, claro, de preços muito abaixo do convencional.

3. Galho por árvore

E cuidado para não comprar galho pensando ser árvore, pois, é bastante comum a comercialização de apenas partes da planta – muitas vezes sem o devido aviso. Para checar a integridade da muda, segure na base do vaso e faça uma leve pressão para cima. Se for um galho, não apresentará resistência. Observe também o topo, já que a ponteira deve estar bem definida e simétrica.

4. Porte adequado

Outro ponto é observar se o porte da planta condiz com o tamanho do vaso. E no caso de exemplares não dispostos em vasos, é imprescindível verificar as raízes, também conhecidas como torrão. A raiz deve, obrigatoriamente, ser proporcional à altura do pinheiro. Se a muda tiver um metro de altura, o torrão deve ter cerca de 50 centímetros de diâmetro. Se tiver dois metros, o ideal são 70 centímetros de torrão. E por aí vai!

5. Posicionamento

Feita a compra, é hora de definir o local adequado para posicionar a árvore. Se a opção for mantê-la em um ambiente interno (em um vaso dentro de casa ou apartamento), será necessário escolher uma área bem ventilada e iluminada, preferencialmente próxima às janelas para que receba luz natural constante. Pinheiros precisam receber luz solar direta por duas horas diárias, pelo menos.

6. Enfeites

Momento muito esperado principalmente pelas crianças, enfeitar a árvore de Natal exige algumas cautelas, com o fim de preservar o pinheiro. Pendurar enfeites leves principalmente nos galhos mais delicados e nos posicionados na base inferior é essencial, para que não enverguem e continuem a receber os nutrientes de forma adequada. É indicado, ainda, a utilização de pisca-pisca de LED, que não esquenta muito. O calor das lâmpadas comuns prejudica a planta.

7. Rega

Árvores de crescimento rápido (em especial as tuias) pedem muita água, de modo que a irrigação deve ser feita com abundância. O que não significa encharcar de forma excessiva, principalmente enquanto a muda ainda for muito jovem, pois fungos podem aproveitar disso, procriar em excesso e prejudicar a planta. Mas não deixe de regar diariamente, pois para um pinheiro será sempre um problema maior a falta de água que o excesso.

8. Controle do crescimento

Por outro lado, a proporção de adubo que a planta deve receber vai variar de acordo com o tamanho do vaso e as necessidades de cada espécie. Na dúvida, verifique as instruções contidas nas embalagens dos produtos. E se você não dispõe de muito espaço livre e quer limitar o crescimento do pinheiro, fazer uso de podas e técnicas de restrição de nutrientes mais específicas, como as utilizadas em bonsais, pode ser uma opção. Mas lembre-se: o certo mesmo é transferir a árvore do vaso para um jardim a céu aberto quando ela alcançar 2 metros de altura, para que se desenvolva naturalmente.

9. Transplante consciente

Passadas as comemorações, é hora de desmontar a árvore. Dependendo do tamanho que a planta estiver, ainda é possível cultivá-la em vaso por mais um tempo. Porém, vimos no tópico anterior que, com 2 metros, realizar o transplante é o mais indicado. Se sua casa não possui espaço suficiente, uma dica é replantar em uma praça ou parque próximos para que você e família possam acompanhar o crescimento e continuar conectados com a árvore. Mas, antes disso, cheque com os órgãos ambientais da sua cidade se o local escolhido é adequado para receber a espécie a ser plantada.

10. Cuidados no replantio

Quando for realizar o transplante, observe primeiro se a área possui pelo menos três metros quadrados livres. Em seguida faça uma cova (ou berço, como preferir) profunda ao centro, com cerca de 50 centímetros de profundidade e a mesma medida de largura. Encharque o berço antes do plantio, para que as paredes fiquem bem molhadas e acomodem melhor a raiz. Adube com uma mistura de húmus de minhoca com terra vegetal e repita esse processo pelo menos uma vez por mês. Por fim, não se esqueça de regar a árvore todos os dias, inclusive molhando as folhas pelo menos uma vez por semana, para que ela cresça forte e permaneça bonita por muitos e muitos anos.

Deixe uma resposta

Send this to a friend