Saiba como as árvores minimizam desastres provocados pela chuva 2228

Áreas verdes aumentam absorção da água pelo solo, diminuem risco de alagamentos e impactos provocados por deslizamentos
Árvores-minimizam-danos-causados-pelas-chuvas

“São as águas de março fechando o verão, é a promessa de vida no teu coração”. Quem nunca ouviu ou cantarolou esse trecho da música Águas de Março, composta pelo saudoso compositor, músico, arranjador, cantor e maestro Tom Jobim, em 1972, e que já chegou a ser considerada a melhor canção brasileira de todos os tempos?

Parafraseando Tom, o final do mês de março é, no Brasil, a época do ano em que fortes pancadas de chuva acontecem em várias regiões. Com as chuvas, muitas espécies animais se reproduzem e espécies vegetais se renovam. Afinal, o tempo úmido facilita o crescimento da vegetação e a boa oferta de água viabiliza a sobrevivência de muitas espécies – inclusive a humana. É, também, sempre o início de uma das estações mais charmosas que temos: o outono.

Romantismo à parte, as chuvas são sim fundamentais para o ciclo da vida. Porém, como acompanhamos repetidas vezes nos noticiários, podem causar enormes estragos quando em excesso. Principalmente nos grandes centros urbanos e em cidades litorâneas, que chegam a ter bairros inteiros expostos a danos catastróficos.

Morros que vão abaixo e levam com a terra muitas casas e vidas; rios e córregos que transbordam e alagam dezenas de ruas, moradias e comércios; pessoas e carros que são arrastados pelas fortes correntezas; entre outros tristes acontecimentos. Enfim, cenas que nos comovem ano após ano e que gostaríamos demais de não ver repetidas.

Mas, afinal, você sabe quais são os três maiores fatores que explicam muitos dos desastres que ocorrem em tempos de chuva?

Se não sabe, eles são provocados, principalmente, pelo descarte mal apropriado de lixo, que resulta em entupimento de bueiros e no assoreamento de rios (que é quando o acúmulo de detritos nas bordas e no fundo dos rios acaba deixando-os mais rasos e estreitos e, assim, mais facilmente passíveis de transbordar e alagar áreas próximas); pela pavimentação excessiva de ruas, ao passo que áreas cobertas com asfalto e cimento ficam praticamente impermeáveis e impedem a absorção da água pelo solo; e pela escassez de árvores. Isso mesmo, a falta de árvores é uma das grandes responsáveis por esse cenário!

Explica-se: a copa das árvores protege o solo da chuva direta. Na falta de árvores, os pingos de chuva caem diretamente no solo, causando erosão. A erosão, por sua vez, prejudica a recomposição da vegetação natural. E solo desprotegido tende a continuar desprotegido.

Já as raízes das árvores evitam que a água da chuva escorra muito rápido, dando tempo para que seja sugada pelo solo. Uma árvore adulta, para você ter uma ideia, pode absorver do solo até 250 litros de água por dia. Sem contar que as raízes são excelentes ferramentas da natureza para ajudar a segurar firmemente o solo, o que reduz o risco de deslizamentos de terra.

E por falar em deslizamentos, as árvores e as plantas arbustivas e rasteiras agem como uma barreira natural quando esses acontecem, minimizando os estragos provocados pela chuva e correntezas.

Quando dispostas na beira de rios e lagos (mata ciliar), também barram poluentes e sedimentos, salvaguardando a água de sujeiras. Matas ciliares são assim chamadas justamente porque por estarem nas margens, as raízes das árvores muitas vezes se espalham pela água, atuando como os cílios em nossos olhos: protegendo-os.

Por fim, coberturas vegetais conduzem a água que absorvem para os lençóis freáticos, de forma a contribuir para o reabastecimento de aquíferos que, se secos, mais do que significar a morte de rios, lagos e lagoas, significa escassez de água potável.

Conseguiu visualizar como as árvores são essenciais para evitar os prejuízos causados pelas chuvas?

Sabemos que não existe fórmula mágica para eliminar de vez os danos, mas algumas mudanças de comportamento e bom senso quando da construção e manutenção da infraestrutura de bairros e cidades podem minimizar – e muito! – os efeitos decorrentes do excesso de água. Afinal, reduzir o volume de chuvas não é possível, nem desejável, mas reduzir a ocorrência das catástrofes decorrentes dela é totalmente viável.

Quanto mais espaço coberto por vegetação, melhor! Por isso é tão importante, entre os fatores acima apontados e que merecem igual atenção, investir em calçadas verdes, parques e jardins. O escoamento adequado da água mantém a umidade ideal do solo, evita erosões, expõem menos as vias de tráfego a eventos de alagamentos e, assim, torna o ambiente mais seguro e agradável.

Pronto para fazer sua parte plantando árvores, já que as cidades deveriam ter 12 m² de área verde por habitante, sendo que a grande maioria possui menos de 5m²? Com a Árvore na Caixinha dar o primeiro passo é mais fácil do que você imagina! Comece a plantar essa ideia hoje mesmo!

Deixe uma resposta

Send this to a friend