Sistema permite Identificação Digital de Árvores em Campinas 423

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, e o secretário municipal do Verde e do Desenvolvimento Sustentável (SVDS), Rogério Menezes, fizeram na manhã da sexta feira 21 de fevereiro, na área externa da Cidade Judiciária, o lançamento do inédito Sistema de Identificação Digital de Árvores de Campinas. Na ocasião, o prefeito e o diretor do Fórum de Justiça, Luiz Antonio Alves Torrano, participaram do plantio simbólico de alecrins, eritrinas (símbolo da Justiça) , paus-brasil, paus-formiga, entre outras espécies. A Cidade Judiciária está recebendo 413 novas mudas que, acrescidas às outras 762 árvores já existentes, somam 1.175 unidades identificadas digitalmente pelo sistema QR Code. O plantio é resultado de uma compensação ambiental de um empreendimento privado no município. O sistema digital de identificação consiste na utilização de um aplicativo gratuito de internet, o QR Code, por meio do qual as pessoas podem baixar, no celular ou tablet, informações sobre cada uma das árvores existentes nos jardins e estacionamento da Cidade Judiciária. Para baixar o aplicativo, basta entrar na loja App Store ou Google Play, digitar em busca de QR Code e instalar o aplicativo gratuitamente. Para obter as informações, é necessário apenas posicionar o equipamento eletrônico em frente ao cartão de identificação digital, localizado ao pé de cada árvore, que dados como nome da planta, espécie, data de plantio, época em que floresce, quando foi adubada, se a fruta é comestível, entre outras informações úteis e curiosas, são fornecidas pelo sistema. De acordo com o secretário do Verde, o projeto piloto implantado na Cidade Judiciária deve se estender aos outros plantios de compensação ambiental no município, ou seja, todos as árvores deverão conter o QR Code. BAV O sistema digital é uma iniciativa do Banco de Áreas Verdes (BAV), setor da SVDS onde são assinados os Termos de Compromisso Ambiental (TCAs) Todo empreendimento implantado em campinas que tenha movimentação de terra de mais de 500 metros cúbicos, construção acima de 2,5 mil metros quadrados e cortes de árvores deverá fazer compensação ambiental. Segundo Menezes, isto significa aproximadamente 350 mil mudas a serem plantadas no município nos próximos três anos, todas resultados de compensações ambientais. “Este sistema digital é não só uma ferramenta de educação e cidadania ambiental, como de planejamento das áreas verdes e transparência no acompanhamento das compensações realizadas pela iniciativa privada”. “Até o momento, não havia controle eficaz desse trabalho”, completou o secretário. De acordo com o diretor do Departamento de Desenvolvimento Sustentável, no qual o BAV está inserido, Marcos Boni, o sistema atende à lei municpal nº 11.571/2003, que prevê a identificação de todas as árvores plantadas na cidade. “Esta lei nunca foi cumprida e começamos o projeto pela Cidade Judiciária porque é justamente aqui que se julga o cumprimento das leis”, afirmou o diretor. O prefeito elogiou o trabalho desenvolvido pela SVDS. “Conseguimos, em Campinas, vencer o antagonismo entre o desenvolvimento e a proteção à natureza. Unimos a tecnologia com os cuidados com o meio ambiente numa experiência que proporciona melhor qualidade de vida ao cidadão”, disse.

 

Deixe uma resposta

Send this to a friend